sábado, abril 14, 2007

Os lugares antigos

Vejo sempre caras e nomes
encarcerados
nos recantos perdidos da mente
esses sítios nublados

tombamos sempre nos lugares antigos
nos escombros da memória
essas ruínas que reconstruímos
sempre que por lá passamos

Miguel Godinho

3 comentários:

Paralaxe disse...

Este Blog está listado no

Directório Paralaxe

Tânia Pereira disse...

Fantástica reflexão e tão evidente verdade descrita assim de forma tão literária...gostei! verbalzaste algo em que pensava e que eu não conseguia verbalizar, quanto mais escrever!

vértice avulso disse...

ruínas reinauguradas, ruínas não mesmas. e é na regeneração que o sangue continua a fluir e acorda a vida. bem o mostram as plavras ou que aqui se acendem a vermelho.