domingo, maio 27, 2007



Faro

Aqui me encontrei
Uma e outra vez
Aqui me descobri
uma e mais vezes
nos covis desta cidade
nas entranhas das ruelas

aqui me perdi
uma e outra vez
como se dançasse
ao som dos lampiões urbanos
nunca era tarde demais
nunca me detinham com palavras
as palavras eram sempre poucas
o som era o que me movia
as luzes, os cheiros
as flores lilases dos jacarandás
o pôr do sol na sé
e os amanhãs despreocupados
os aliados sempre ali
e eu sem me aperceber que era eu
sem necessidade de ser eu
vagabundo errante
na sombra dos dias
nas longas esperas pela noite

Miguel Godinho

1 comentário:

Tânia Pereira disse...

Aí me perdi uma e outra vez...procurei muias vezes nas sombras aquilo que não queia ver de frente ao espelho. Agora continuo por aí, menos vezes mas continuo e a diferença é só que já sei que são sombras e nada mais ou nada a menos.
Aí nessas ruas e por entre essas paredes que muitas vezes parece que se abraçam e outras vezes que foram separadas à força, aí eu cresci!